Litania de Outono

 

Hoje    apetece-me dizer adeus a tudo
a todos    e permanecer    ridículo e lúcido
neste invólucro lacrado    há cinco décadas
Demasiado justo    Sobremodo apertado

Hoje    apetece-me ficar assim    acanhado
por dentro do visível de mim    algo risível
como arlequim    em cenário burlesco

Hoje    quero ficar só    Sóbrio    Tudesco
Granítico por fora    Por dentro romanesco
Úrico    em depuro    quero espichar dores
em primo muro    como efémero grafíti

Amanhã serei como for    Farei como quiser
Hoje    apetece-me dizer adeus a tudo    A todos
subtrair-me    Ficar só    Sóbrio    E mudo

[Luís Eusébio]

21 thoughts on “Litania de Outono

  1. juliaml

    Luís, lembrei que o Outono sempre te inspira, o ano passado fizeste um poema por esta época igualmente belo., mas como para mim o ultimo poema é sempre o melhor, acho que gosto ainda mais deste 🙂

  2. Maite

    Caro Luís Eusébio

    Você e a sua lucidez atroz 🙂
    Muito bonito o poema.

    Gosto também da música dos Gotan Project

    Tenha uma excelente noite

    P.S. espero que este coment não fique preso nas malhas do spam 🙂

  3. PortoCroft

    Cara Maite,
    Eu e a minha lucidez atroz!!! 😀
    Long time no see… 🙂 Que se passa? Está tudo bem?
    Resto de noite feliz.
    P.S. – Ficou preso, sim. Fiz o ‘upgrade’ do sistema e estou com problemas…

  4. noronha

    Grande Luis!!!

    texto impecável! belo e forte poema. nós “de cinco décadas (ou mais!)” é que sabemos o quanto esses sentimentos no texto derramados são importantes e frequentes.

  5. Apatetada

    Que tem Deus e o cego a ver com o Fairy?
    Não está a chamar as wickas para aqui Ou está??’ Olha agora!!

  6. Apatetada

    Então brilhemos e,.. fechemos os olhos para dormir. Qual pirilampos.
    Bnoite amanhã continuamos a desgarrada que eu hoje estou completamente apatetada! 🙂

  7. PortoCroft

    Maite,

    Folgo em sabê-lo. Não desapareça, ou terei que entregar o seu caso à Scotland Yard. 😀

Comments are closed.